Bernafon 
LIGUE AGORA E TIRE SUAS DÚVIDAS
(62) 3092-4306
NOTÍCIAS
Pessoas com surdez repentina correm risco de transtorno depressivo.


Pessoas com surdez repentina, singla em inglês (SSNHL), têm 20 vezes riscos a mais de desenvolver desordem depressiva, do que indivíduos que nunca sofreram desse tipo de enfermidade. Principalmente, pessoas abaixo de 60 anos de idade.

Um estudo aponta que pessoas que sofrem de surdez repentina têm 2 horas e 17 minutos a mais de ter  desordem depressiva do que indivíduos que nunca sofreram com esse tipo de enfermidade. O estudo também revelou que pessoas com menos de 60 anos de idade têm um alto risco de desenvolver desordem depressiva, caso sofram de surdez repentina.



O que é perda auditiva súbita?

Perda auditiva súbita é definida como uma perda auditiva que ocorre em três frequências cotínuas  em poucos dias.E isso pode acontecer durante a noite, ou pode surgir a qualquer hora do dia. Perda súbita pode atingir qualquer idade, mas é mais comum em pessoas na faixa etária de 50 anos.



Causas de perda auditiva súbita.

As causas de perda auditiva súbita variam, dentre as muitas possíveis causas para perda súbita existem as infecções virais, as desordens vasculares, e trauma craniano que chega a afetar as células ciliadas, tímpano e os ossículos, como também a longa lista de medicamentos prescritos para transtornos idiopáticos ou imunológicos. O desenvolvimento de anomalias e vários tumores, no ouvido, são também considerados causas possíveis de perda auditiva súbita.

Se você tem experimentado perda auditiva súbita, você deve considerar isso uma situação auditiva emergencial e é recomendável que procure um especialista auditivo para que seja feito estudo e exames acerca do problema.


Sobre o estudo.

Um total de 1717 pessoas, com perda auditiva repentina, e um grupo de 6868 indivíduos sem essa enfermidade participaram do estudo. A pesquisa foi baseada em dados da National Health Insurance Research Database (NHIRD), emTaiwan.



Fonte: http://www.hear-it.org/pt/pessoas-com-surdez-repentina-correm-risco-de-transtorno-depressivo