Bernafon 
LIGUE AGORA E TIRE SUAS DÚVIDAS
(62) 3092-4306
NOTÍCIAS
Perda auditiva e demência



As pessoas com perda auditiva têm mais possibilidade de desenvolver demência, se comparadas com indivíduos com audição normal.

As pessoas com perda auditiva suave, moderada e severa têm 2,3 e 5 vêzes mais chance de desenvolver, respectivamente, demência  do que as pessoas com audição normal. Mesmo se levar em consideração fatores que estão relacionados ao alto risco de demência, como diabetes, pressão alta, idade, sexo e raça. Desse modo, perda auditiva e demência ainda estão fortemente interligadas entre si.

Os resultados foram publicados numa pesquisa publicada em 2011 e feita por Frank Lin otorrinolaringolista e epidemologista  da Escolade de Medicina Hopkins School of Medicine, nos Estados Unidos. Ele e sua equipe acompanharam 639 pacientes durante 18 anos. Nenhum dos indivíduos tinham deficiência cognitiva no início da pesquisa, embora  eles encontravam-se com um certo  grau de perda auditiva. Durante 18 anos de acompanhamento, 58 casos de demência foram diagnosticados em 639 pacientes.

Risco de perda auditiva aumenta
Um outro estudo publicado em 2012, por Gallacher e outros, confirmou os seguintes resultados: Nesse estudo,1057 homens  foram acompanhados durante um período de 17 anos, cujas perdas auditivas foram avaliadas no início da pesquisa  e após 9 anos novamente. Nessa avaliação foram levadas em consideração tanto fatores de cognicção como de demência. Os autores encontraram uma significativa correlação com perda auditiva, demência e declínio cognitivo. Para cada 10 dB(decíbeis) de aumento de perda auditiva, comparado com um nível de audição normal para esta idade, o  risco de desenvolver demência aumentou  2,7 vêzes.

Fonte: ”Hearing well to train your brain” by Prof. Frank R. Lin and Prof. Sophia E. Kramer